Ao longo dos séculos, Portugal teve, como ainda hoje tem, uma produção musical que é, sem dúvida, relevante e de uma qualidade indiscutível dentro do panorama artístico nacional e internacional, mas que, frequentemente, ficou esquecida ou permaneceu desconhecida.

A preservação e divulgação deste espólio musical, actual e antigo, deixado por uma plêiade de compositores como uma parte integrante do nosso património artístico de referência, constitui, assim, uma tarefa fundamental e necessária para contrariar esta indiferença e contribuir para a construção e a compreensão de uma identidade cultural portuguesa dentro de uma heterogeneidade de valores nacionais.

É neste sentido que a fermata editora, criada em Junho de 1996, orienta a sua actividade e elege como seu objectivo fundamental a divulgação do reportório musical português através da edição de partituras, de obras teóricas musicais e de registos áudio.